Pages

sábado, 26 de novembro de 2011

O que vai estar em cartaz no verão

   O que a chegada do verão significa para você? O clima mais quente pode ser um convite para agradáveis atividades ao ar livre - talvez ir à praia ou a um parque, ou quem sabe talvez um cinema.

    No entanto, os que fazem parte da indústria cinematográfica esperam que milhões de pessoas passem muitas horas do verão dentro dos cinemas. Há pelo menos 35 mil telas de cinema só nos Estados Unidos e, nos últimos anos, cerca de 40% das rendas de bilheteria naquele país foram geradas durante o verão, nos Estados Unidos a temporada de filmes do verão começa em maio e vai até setembro. Geralmente o termo "campeões de bilheteria" se aplica aos filmes que rendem 100 milhões de dólares ou mais, no entanto, o termo é as vezes usado, por extensão, para descrever qualquer filme que faz sucesso, independentemente de quanto rende nas bilheterias, a época de Natal é o período em que se lucrava mais.

  Mas, isso nem sempre foi assim. O verão era uma temporada fraca para os cinemas nos Estados Unidos, o que fazia com que muitos deles limitassem sua programação ou fechassem nessa época. Mas, em meados dos anos 70, cinemas com ar condicionado atraíram milhões de pessoas que queriam fugir do calor. As crianças em férias eram um mercado em potencial, que não passou despercebido dos produtores de filmes. Não demorou muito e apareceram os campeões de bilheteria do verão. Isso mudou a maneira de produzir filmes e comercializá-los, como veremos.

    Nas últimas décadas, Hollywood tornou-se um grande produtor de campeões de bilheteria. Esse fenômeno tem tido impacto global, visto que muitos filmes americanos são lançados no exterior apenas semanas — ou, em alguns casos, dias — depois da estréia nos Estados Unidos. Alguns filmes são até mesmo lançados no mundo inteiro simultaneamente. “O mercado internacional está crescendo cada vez mais e é muito forte”, diz Dan Fellman, presidente da distribuição nacional da Warner Brothers Pictures. “Assim, quando fazemos filmes, nós os vemos como uma oportunidade global.” Agora, mais do que nunca, o que acontece em Hollywood afeta a indústria do entretenimento no mundo todo.

   Mas obter lucros com um filme não é tão fácil quanto talvez pareça. Muitos filmes precisam render mais de 100 milhões de dólares apenas para cobrir os custos de produção e marketing. E seu êxito depende inteiramente de um público imprevisível. “Nunca se sabe o que o público vai achar emocionante ou sensacional em determinada época”, diz David Cook, professor de estudos cinematográficos da Universidade Emory. Então, como os produtores de filmes aumentam sua chance de sucesso? Para responder a essa pergunta, precisamos entender primeiro alguns fatos básicos relacionados com a produção de filme

    A pré-produção é geralmente a fase mais longa do processo de produção de um filme e uma das mais importantes. Como acontece com qualquer projeto grande, a preparação é a chave do sucesso. Espera-se que qualquer dinheiro gasto na pré-produção renda muito mais durante a filmagem.

  A produção de um filme começa com a idéia de uma história, que pode ser fictícia ou baseada em fatos reais. Um escritor transforma a história em script, que também é chamado de roteiro. Este pode ser revisado várias vezes antes de se produzir a versão final — chamada de roteiro de filmagem —, que contém o diálogo e uma breve descrição do que acontecerá no filme. Também fornece orientações sobre detalhes técnicos, como a direção da câmera e mudanças de cenas.

  No entanto, é ainda no estágio inicial que um roteiro é vendido ao produtor. Que tipo de roteiro pode interessar um produtor? Bem, o conteúdo dos filmes típicos de verão é direcionado aos adolescentes e adultos jovens — “a turma da pipoca”, como são chamados por um crítico de cinema. Desse modo, um produtor talvez se interesse numa história que atraia os jovens.

  Melhor ainda é um script que interesse pessoas de todas as idades. Por exemplo, um filme sobre um super-herói de histórias em quadrinhos com certeza atrairá crianças mais novas que conhecem bem o personagem. E, sem dúvida, os pais verão o filme com elas. Mas, como os produtores de filmes atraem adolescentes e adultos jovens? “Conteúdo provocante” é a chave, escreve Liza Mundy, no The Washington Post Magazine. Acrescentar linguagem obscena, cenas fortes de violência e uma boa dose de sexo a um filme é uma maneira de “aumentar grandemente seu potencial lucrativo sem deixar nenhum grupo de fora”.

   Se o produtor achar que um roteiro tem potencial, ele pode assinar um contrato com um diretor bem-conceituado e com um ator ou uma atriz famosos. Um filme que tem um diretor conhecido e um astro famoso vai atrair o público quando for lançado. No entanto, mesmo no estágio inicial, nomes famosos podem atrair os investidores necessários para financiar o filme.

    Outro aspecto da pré-produção é o storyboard. Trata-se de uma série de desenhos que descrevem várias seqüências, especialmente as que envolvem ação. Servindo de plano de ação para o cineasta, o storyboard poupa muito tempo durante a filmagem. Frank Darabont, diretor e roteirista, diz que “não há nada pior do que ficar à toa no set de filmagem, desperdiçando o dia, tentando descobrir onde posicionar a câmera”.
Muitas outras questões precisam ser decididas durante a pré-produção. Por exemplo, que locais serão usados para a filmagem? Será preciso viajar? Como serão planejados e construídos os interiores? Serão necessários trajes específicos? Quem cuidará da iluminação, maquiagem e penteado? Que dizer do áudio, efeitos especiais e dublês? Tudo isso é apenas uma pequena amostra dos muitos aspectos da produção de um filme que precisam ser considerados antes de se filmar uma única imagem. Preste atenção nos créditos que aparecem no final de uma superprodução cinematográfica e verá que centenas de pessoas estiveram envolvidas nos bastidores! “É preciso a cooperação de muitas pessoas para fazer um longa-metragem”, diz um técnico que trabalhou em muitos sets de filmagem.

    Filmar pode ser demorado, cansativo e caro. De fato, um único minuto perdido pode custar milhares de dólares. Às vezes é preciso levar os atores, a equipe de filmagem e os equipamentos a uma parte remota do mundo. No entanto, não importa onde seja feita a gravação, cada dia de filmagem consome uma quantia considerável do orçamento previsto.
    Entre os primeiros a chegar ao set estão a equipe de iluminação, os cabeleireiros e os maquiadores. Em cada dia de filmagem gastam-se várias horas preparando os atores para a gravação. Então, começa o longo dia.
    O diretor supervisiona de perto a filmagem de cada cena. Pode-se demorar um dia inteiro para filmar mesmo uma cena relativamente simples. A maioria das cenas são gravadas com uma única câmera; por isso, é preciso repetir a cena várias vezes para que a câmera possa pegá-la de vários ângulos. Além disso, cada filmagem talvez seja feita muitas vezes para se obter o melhor desempenho ou corrigir um problema técnico.  
    Cada uma dessas tentativas recebe o nome de “tomada”. Para cenas maiores, talvez sejam necessárias 50    tomadas ou mais! Mais tarde — geralmente no final de cada dia de filmagem — o diretor assiste a todas as tomadas e decide quais devem ser usadas. Ao todo, o processo de filmagem pode durar semanas ou mesmo mese

   Durante a pós-produção, as tomadas são editadas para formar o filme completo. Primeiro, sincroniza-se a trilha sonora com o filme. Daí, o editor de imagens junta as tomadas não-editadas para formar uma versão preliminar do filme, chamada copião.
 
    É nesse estágio que se acrescentam os efeitos sonoros e visuais. Um dos elementos mais complexos na produção de filmes — os efeitos cinematográficos especiais — são às vezes conseguidos com a ajuda de computação gráfica. Os resultados podem ser espetaculares e bem realísticos.

   Durante a pós-produção também se acrescenta a trilha sonora ao filme, e esse é um aspecto considerado muito importante para os filmes de hoje. “Atualmente, mais do que nunca, a indústria cinematográfica exige que o filme tenha uma trilha sonora original — não apenas vinte minutos ou pequenos intervalos para momentos dramáticos, mas geralmente mais de uma hora de música”, escreve Edwin Black, na revista Film Score Monthly.

   Às vezes, um filme recém-editado é exibido a espectadores selecionados, talvez amigos ou colegas do diretor que não estiveram envolvidos na produção. Dependendo da reação deles, o diretor pode refilmar ou eliminar algumas cenas. Em alguns casos, modificou-se todo o final de um filme por causa da reação desfavorável à versão original numa exibição de teste.
   Finalmente, o filme está pronto e é lançado nos cinemas. Só então fica claro se o filme será um sucesso ou um fracasso — ou nenhum dos dois. Mas algo mais do que dinheiro está envolvido. Uma série de fracassos pode arruinar as perspectivas de trabalho do ator e a reputação do diretor. “Já vi muitos de meus contemporâneos deixar a carreira depois de alguns fracassos”, diz o diretor John Boorman, lembrando seus primeiros anos na produção de filmes. “A dura realidade do ramo cinematográfico é que, se você não ganha dinheiro para seus superiores, você é descartado.”
   É claro que, quando as pessoas estão diante de um cartaz de cinema, elas não pensam nos empregos dos que estão envolvidos na produção de filmes. É mais provável que sua principal preocupação seja: ‘Será que vou gostar desse filme? Vale a pena pagar a entrada? Será que vou achar o filme chocante ou ofensivo? É próprio para meus filhos?’ Como você pode responder a essas perguntas ao decidir a que filmes irá assistir?

O filme está pronto. Milhões de pessoas já podem assistir a ele. Será que vai ser um sucesso? Considere algumas maneiras como os produtores tentam divulgar o filme e transformá-lo num campeão de bilheteria.

RUMORES: Uma das maneiras mais eficazes de criar expectativa sobre um filme é por meio do que as pessoas falam. Às vezes os rumores começam meses antes do lançamento. Talvez seja anunciado que haverá uma continuação de um filme de sucesso. As pessoas talvez se perguntem: ‘Será que os mesmos astros vão participar desse novo filme? Será que vai ser tão bom (ou tão ruim) como o primeiro?’
  Em alguns casos, surgem rumores sobre algum aspecto polêmico do filme — talvez cenas de sexo explícito, incomuns num filme classificado para todas as idades. A cena é mesmo tão ruim? Será que o filme “passou dos limites”? À medida que pontos de vista diferentes são debatidos pelo público, o filme é divulgado gratuitamente, para o benefício dos produtores. Às vezes a polêmica levantada garante uma grande audiência na estréia do filme.

MÍDIA: Formas mais tradicionais de anunciar um filme incluem o uso de cartazes, anúncios em jornais, comerciais de TV, trailers exibidos no cinema antes de um longa-metragem e entrevistas em que os astros divulgam seu último filme. Atualmente a internet é um dos principais meios de propaganda.

PROMOÇÃO DE VENDAS: Itens promocionais podem aumentar a expectativa sobre o lançamento de um filme. Por exemplo, um filme baseado num herói de histórias em quadrinhos veio acompanhado de produtos relacionados com o tema do filme, como lancheiras, canecas, bijuteria, roupas, chaveiros, relógios, abajures, um jogo de tabuleiro e outras coisas. “Normalmente, 40% das mercadorias promocionais são vendidas mesmo antes de o filme ser lançado”, escreve Joe Sisto, numa revista sobre entretenimento, da Ordem dos Advogados dos EUA.

FITAS DE VÍDEO: Um filme que não dá muita renda nas bilheterias pode compensar as perdas com as vendas de fitas de vídeo. Bruce Nash, que acompanha o movimento financeiro dos filmes, diz que “o comércio de fitas de vídeo é responsável por 40% a 50% da renda”.

CLASSIFICAÇÕES: Os produtores de filmes aprenderam a tirar vantagem das classificações. Por exemplo, certo conteúdo pode ser inserido de propósito num filme com o objetivo de que este receba uma classificação mais rigorosa, fazendo parecer que é para adultos. Por outro lado, apenas alguns cortes podem ser suficientes para evitar que um filme seja classificado para adultos, e fazer com que seja comercializado para adolescentes. Liza Mundy escreve no The Washington Post Magazine que a classificação de filmes para adolescentes “transformou-se numa propaganda: os estúdios a usam para transmitir aos adolescentes — e às crianças que desejam muito ser adolescentes — a mensagem de que o filme contém coisas interessantes para eles”. As classificações criam uma espécie de “conflito de gerações”, escreve Mundy, “alertando os pais enquanto seduzem os filhos”.

Thiago Bastos
tchumidjo@gmail.com

3 comentários:

O diário de Cristiane Tiago disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thiagø disse...

Pois é, um filme custa caro, o processo é longo até chegar nos cinemas, não é uma coisa fácil de se fazer...

Obrigado pelo comentário Cris, fico sempre feliz com suas visitas, volte sempre, tá?

Abraços

O diário de Cristiane Tiago disse...
Este comentário foi removido pelo autor.